Podcast ou vídeo: qual é o melhor para você?

Para o podcast ou para o YouTube, essa é a questão. E a resposta é: depende de muitos fatores, desde o tipo de conteúdo que você deseja criar até o público que deseja atingir. Ambas as plataformas têm seus prós e contras, nenhuma é melhor que a outra, então é só uma questão de encontrar a certa para você.

Não é novidade que o YouTube é um dos sites mais visitados do mundo e o segundo motor de busca mais utilizado (o Google fica com o primeiro lugar, claro). O YouTube tem 2 bilhões de usuários conectados por mês e 73% dos adultos nos EUA o usam, o que significa que, basicamente, é provavelmente difícil encontrar uma pessoa que nunca viu pelo menos um vídeo no YouTube. Os números são certamente impressionantes e há ainda mais vantagens: começar com SEO, já que postar vídeos de alta qualidade no YouTube e aumentar a audiência pode ajudá-lo a pontuar melhor no Google – afinal, o Google é dono do YouTube.

Se você tem como alvo a geração do milênio ou tem como objetivo criar conteúdo altamente visual, o YouTube é o lugar onde você vai conquistar seguidores. A única desvantagem real do YouTube é o esforço que envolve a produção e edição dos vídeos, assim como a consistência, fator fundamental para ter um canal de sucesso. Não se esqueça de que o YouTube é uma rede social, então a interação com seus seguidores será fundamental, ainda mais conforme o número de assinantes aumenta. Responder a comentários, fornecer novos conteúdos regularmente e aproveitar todas as possibilidades que o YouTube tem a oferecer ajudará você a criar uma comunidade de fãs.

Por melhor que seja o YouTube, os podcasts estão causando um impacto rápido, especialmente desde 2019, quando o número de ouvintes de podcast nos EUA saltou de 44% para 51% e eles não parecem diminuir tão cedo. O bom é que o público do podcast tende a ser altamente comprometido com esse tipo de conteúdo e, uma vez que gosta de um programa, é mais provável que o sintonize toda semana. Na verdade, 80% dos ouvintes de podcast geralmente terminam ou ouvem quase todo um episódio, principalmente porque ouvir um podcast permite multitarefa, enquanto assistir a um vídeo requer mais atenção.

Outra coisa sobre os podcasts é que, ao contrário dos vídeos, não existe uma plataforma principal para postá-los. Spotify, Itunes e muitos outros oferecem a chance de alcançar diversos públicos em todo o mundo. Até o YouTube está subindo a bordo e hoje em dia existem muitos podcasts na forma de vídeos sem imagens. A pesquisa é fundamental aqui, pois cada plataforma tem seu próprio nicho, portanto, dependendo do seu tópico, você vai querer encontrar o lugar certo para postá-lo. Se você gosta de podcast, leia nossas dicas sobre como criar um podcast de sucesso para começar.

Ambos requerem algumas habilidades técnicas e alguns equipamentos, lembrando que quanto melhor for o equipamento que você utilizar – câmeras, microfones, softwares de edição e até iluminação – o resultado será mais profissional. Com certeza o podcasting requer menos ferramentas, já que basicamente você só precisa de um microfone, algo para gravar (pode ser até seu telefone) e um programa de edição, enquanto os padrões estéticos no YouTube são definitivamente altos, o que significa que você deve investir mais tempo e esforços na criação de um produto final de alta qualidade.

Outra coisa que ambos os tipos de conteúdo têm em comum é a necessidade de música isenta de royalties. Usar qualquer música protegida por direitos autorais em seu programa ou vídeos pode ser arriscado, pois você pode ser penalizado pelo Spotify, iTunes ou YouTube ao ser desmonetizado ou expulso. Como imaginamos que nenhum criador gostaria disso, encontrar a música certa para suas criações é uma obrigação, pois nenhum vídeo ou episódio de podcast está completo sem música livre de royalties. Felizmente, no HookSounds você encontrará muitos 🙂